maio 15, 2017

Posted by in Noticias | 0 Comments

CSA x CRB: cinco respostas que explicam a finalíssima do Alagoano

CSA x CRB: cinco respostas que explicam a finalíssima do Alagoano

crb csa final perguntasGalo joga pelo empate no clássico decisivo; Azulão precisa atacar o rival. Jogão está marcado para este domingo, às 16h, no Estádio Rei Pelé

inais, finais… O torcedor costuma receber textos parecidos no dia da decisão dos campeonatos. Falas repetitivas sobre a força do adversário, indecisão nas escalações, algumas linhas sobre o equilíbrio da partida. Tudo isso está no inconsciente de azulinos e regatianos. Não precisa repetir. Também não tem nada de guerra, de batalha, neste domingo. Será um encontro de velhos conhecidos, que contaram belas histórias sobre o futebol do estado ao longo do tempo e vão disputar a taça do Alagoano na bola, no campo. Por isso, até para evitar a fadiga, o GloboEsporte.com apresenta a finalíssima entre CSA e CRB com perguntas e respostas sobre um clássico especial. Não tem nada de tik-taka do Barça, vamos direto ao assunto. Ah, fique de olho também no relógio: o jogão começa às 16h, no Rei Pelé.

O que os times precisam fazer para ficar com a taça?

O CRB venceu o primeiro jogo das finais por 1 a 0 e joga pelo empate. Caso seja derrotado por um gol de diferença (1 x 0, 2 x 1, 3 x 2…), o clássico vai para a prorrogação. O CSA precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão no tempo normal. Ouro detalhe: empate na prorrogação leva a decisão para os pênaltis. Aí a parada vai ficar entre Mota e Juliano.

Arbitragem de fora na partida?

Os clubes decidiram pedir um trio da Fifa. É bom porque acaba com polêmica antes da decisão. Em Alagoas, os árbitros locais seriam muito pressionados durante a semana, e a escolha do gaúcho Anderson Daronco acabou com isso. É experiente e não tem nenhuma ligação com o futebol alagoano. Ninguém reclamou da escolha. Ele terá ainda como assistentes Márcia Bezerra Caetano (Fifa/SP) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO).

E os times, estão definidos?

Todo mundo sabia desde a semana do primeiro clássico da decisão que Canindé e Condé não divulgariam os times, nem mesmo os relacionados. Fecharam os treinos, esconderam as pranchetas, desconversaram nas entrevistas. O detalhe é que eles disputaram seis clássicos neste ano. Não é difícil decifrar o que pretendem. Sem o volante Everton Heleno, suspenso, o técnico do CSA deve escalar Marcos Antônio. Até falou, de passagem, sobre isso nas coletivas. Voltam ao time o goleiro Mota e o meia-atacante Thiago Potiguar, que cumpriram suspensão automática.

Condé precisou mexer na defesa do Galo, um dos pontos fortes do time. Ele é mais conservador e não deve improvisar na lateral direita. Marcos Martins está suspenso, e Edson Ratinho deve jogar no setor. Assim, abre uma vaga no meio-campo, que deve ser preenchida por Danilo Pires. Na zaga, sai Flávio Boaventura, suspenso, e entra Adalberto.

Esquemas táticos dos finalistas são parecidos?

CSA e CRB têm virtudes e defeitos parecidos. Os dois se defendem melhor que atacam. A força ofensiva dos times, inclusive, foi questionada durante todo o campeonato por imprensa e torcedores. Os técnicos costumam escalar as equipes no 4-4-2, com algumas variações. O CRB tem um centroavante, Neto Baiano, e o CSA costuma jogar com dois atacantes mais velozes, sem tanta presença de área. As defesas sofreram poucos gols no Alagoano. São até as melhores da competição, com oito gols sofridos pelo Azulão, e 11 pelo Galo.

Quem pode assistir ao clássico no estádio?

A Justiça determinou que apenas uma torcida pode assistir aos clássicos entre CSA e CRB. Não houve muita discussão, os dirigentes se dividiram e desde o hexagonal ficou assim. Neste domingo, só os azulinos podem comprar ingresso. E os bilhetes para arquibancadas baixas foram esgotados na sexta-feira. Estão sendo vendidas, por R$ 30,00 e R$ 60,00, respectivamente, as entradas para arquibancadas altas e cadeiras. Empolgada com as vendas antecipadas, a diretoria do CSA espera um público de mais de 15 mil pessoas.

A PM informou que os portões do Rei Pelé serão abertos às 14h, e quase 700 policiais vão trabalhar na segurança do clássico. A direção do CRB não programou nenhum evento para os torcedores assistirem ao jogo. Alegou dificuldades para dar segurança aos regatianos.

Curiosidades dos finalistas

*CSA e CRB estão garantidos na Copa do Brasil de 2018. O campeão alagoano também terá um lugar na fase de grupos do Nordestão do próximo ano. O vice terá que disputar ainda uma fase classificatória para o regional.

* Os rivais se enfrentaram seis vezes neste ano. O CRB venceu duas (2 x 1 e 1 x 0), o CSA ganhou uma (1 x 0), e o clássico terminou empatado em outras três (1 x 1, 0 x 0 e 0 x 0).

* Oliveira Canindé trabalha no CSA desde 2015; Léo Condé iniciou o trabalho no CRB no final do ano passado.

* O CSA tenta o 38º título alagoano neste domingo. Atual bicampeão estadual, o Galo joga em busca do 30º troféu.

* Nenhum jogador marcou mais de um gol nos seis clássicos do ano.

* Fizeram gols nos jogos entre CSA e CRB em 2017: Sérgio Mota, Danilo Pires, Flávio Boaventura e Neto Baiano (Galo); Alex Henrique, Cleyton e Thiago Potiguar (Azulão).

* A TV Gazeta transmite o clássico, ao vivo, para todo o estado.

* CRB e CSA decidem o Alagoano pelo segundo ano consecutivo.

CSA x CRB

Quando: neste domingo
Hora: às 16h
Onde: Rei Pelé, em Maceió
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Márcia Bezerra Caetano (Fifa//SP) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO).

CSA – Mota; Celsinho, Thales, Douglas Marques e Rafinha; Dawhan, Marcos Antônio, Didira e Daniel Costa; Thiago Potiguar e Vanger. Técnico: Oliveira Canindé.

CRB – Juliano; Edson Ratinho, Adalberto, Gabriel e Diego; Adriano, Yuri, Danilo Pires e Chico; Mailson e Neto Baiano. Técnico: Léo Condé.

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *